Minerva abre inscrições para sua segunda turma - PORVIR
Crédito Maksym Yemelyanov / Fotolia.com

Inovações em Educação

Minerva abre inscrições para sua segunda turma

Universidade itinerante espera ter mais de 200 novos alunos do mundo todo iniciando os estudos em setembro de 2015

por Fernanda Kalena ilustração relógio 4 de março de 2015

O projeto Minerva, conhecido pelo seu modelo inovador de universidade itinerante, está com inscrições abertas para sua segunda turma, até o dia 15 de março. A expectativa da instituição é montar a primeira turma completa, com mais de 200 estudantes, já que o primeiro grupo tinha um caráter experimental e contou com apenas 28 alunos, que também têm como missão dar feedbacks periódicos para aprimorar a experiência.

Entre os estudantes da turma inaugural há um brasileiro, o gaúcho Guilherme Nazareth de Souza, de 19 anos. Ele estava cursando economia na UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) quando resolveu se inscrever na Minerva. “A experiência tem sido muito interessante, estava acostumado com o modelo de educação brasileiro e aqui temos uma flexibilidade curricular muito valiosa. Passei de decorar fórmulas de análise estatística para entender como se chegou nelas e assim conseguir aplica-las em qualquer situação”, conta.

A estrutura das aulas da universidade é dividida em cinco escolas: ciências sociais, ciências naturais, ciências da computação, artes e humanidades e negócios. O primeiro ano do curso é comum para todos os alunos e é realizado em São Franscisco – onde está localizada a sede da Minerva – e os semestres seguintes vão ser realizados cada um em um país diferente. (Já falamos do projeto aqui).

A turma inaugural vai passar o próximo ano letivo longe dos estudos, mas não por isso, aprendendo menos. Os alunos vão ter um “gap year” (algo como um ano de intervalo) para estagiarem em empresas de seu interesse. Após este período, eles se juntarão com a segunda turma para iniciarem o segundo ano de curso que será realizado entre Berlim, na Alemanha, e Buenos Aires, na Argentina.

“Pensamos muito em pares. Ben Nelson [CEO do projeto] fala bastante de comparação e contraste. Berlim foi devastada na 2a Guerra Mundial e hoje é uma cidade pulsante, com forte ligação com artes e empreendedorismo. Já Buenos Aires é uma das maiores economias da América Latina e está vivendo uma grande crise econômica. Queremos que os alunos comparem as duas situações”, explica Alex Aberg Cobo, diretor da Minerva para a América Latina.

Processo seletivo
Jovens interessados em estudar na instituição devem preencher um formulário online. Segundo o diretor, os alunos vão ser avaliados por quatro pilares: performance acadêmica, testes da Minerva (que incluem lógica, inglês e personalidade), entrevista em inglês e realizações.

Cobo ressalta que este último item muitas vezes é menosprezado por estudantes latinos, mas que deve ser valorizado, pois é o momento que permite que falem um pouco mais sobre seus interesses e se diferenciem dos outros candidatos. “Muitos tiram boas notas e possuem um bom currículo. Mas é importante que comunitário ou realizado em suas escolas”, exemplifica.

O brasileiro disse acreditar que suas atividades extracurriculares ajudaram em sua aprovação. “Fui presidente do grêmio estudantil de minha escola, organizei clube de cinema, debate político com os candidatos a prefeitura. Fiz muita atividade extra e eles se interessaram pelo meu currículo”, conta.

Não existe definição prévia sobre o número de candidatos que vão ingressar na universidade no próximo ano, isso vai depender da quantidade de pessoas que se adequarem ao perfil buscado pela Minerva. Também serão disponibilizadas bolsas de estudos para os aprovados que não puderem arcar com os custos do curso.


TAGS

ensino superior, minerva, novos espaços

2
Deixe um comentário

avatar
500
0 Comentários ao conteúdo
0 Respostas a comentários
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário em alta
0 Autores
Quem acabou de comentar
  Acompanhar a discussão  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Tipo de notificação