Professora que ensina língua portuguesa e LIBRAS é finalista do Global Teacher Prize - PORVIR
Crédito: Divulgação/Varkey Foundation

Inovações em Educação

Professora que ensina língua portuguesa e LIBRAS é finalista do Global Teacher Prize

Conheça o trabalho da professora Doani Emanuela Bertan, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Júlio de Mesquita Filho, em Campinas (SP)

por Redação ilustração relógio 4 de novembro de 2020

A professora brasileira Doani Emanuela Bertan, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Júlio de Mesquita Filho, em Campinas (SP), está entre os 10 finalistas do Global Teacher Prize 2020, premiação realizada pela Varkey Foundation em parceria com a UNESCO. Em sua sexta edição, o “Nobel da Educação” destina US$ 1 milhão ao educador vencedor.

Em uma mensagem especial anunciando que Doani Emanuela Bertan está entre os 10 finalistas, o comediante, ator, escritor e apresentador britânico Stephen Fry prestou uma homenagem ao trabalho de Doani Emanuela Bertan . “Hoje, tenho o imenso prazer de anunciar que a brasileira Doani Emanuela Bertan está entre os 10 finalistas do Global Teacher Prize 2020. Doani, quando você se formou e percebeu que a educação especial era sua paixão, você escolheu aprender a Língua Brasileira de Sinais para poder trabalhar com os deficientes auditivos. Mas, você também escolheu trabalhar em uma área muito carente para que os mais vulneráveis possam ter a ajuda e o apoio de que tanto precisam. Você também transformou as videochamadas regulares com os alunos em tutoriais online e videoaulas totalmente bilíngues. Seu trabalho árduo e empatia realmente transformaram a vida desses alunos. Parabéns, Doani, e obrigado por tudo o que você faz”.

??‍?  O que é ser um bom professor?

Para alcançar as 10 primeiras posições, Doani concorreu com 12.000 indicados e inscritos de mais de 140 países do mundo todo. A inspiração da professora para se tornar professora veio de sua mãe. Quando se formou, percebeu que a  Educação Especial era sua paixão, em especial o trabalho com deficientes auditivos. Foi então que Doani deu os primeiros passos em direção à sua vocação, fazendo um curso de linguagem de sinais. Desde 2008, Doani trabalha como professora bilíngue de português e LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais). A escola onde leciona está localizada em uma área vulnerável. Na luta contra os altos índices de evasão, sua escola estimulou os professores a ouvirem as necessidades, as preocupações e os interesses de seus alunos e criarem soluções de ensino mais adequadas às suas necessidades. Doani, juntamente com seus colegas, começou a buscar novas estratégias para otimizar o aprendizado.

Foi assim que Doani passou a realizar videochamadas com os estudantes para sanar dúvidas e ouvir preocupações a respeito das aulas diárias. Esses tutoriais online cresceram e se tornaram aulas bilíngues em vídeo com todos os recursos, permitindo a disseminação do conhecimento fora do ambiente escolar. Além do uso da tecnologia como ferramenta, essas aulas viabilizam a flexibilidade dos locais e horários de aprendizagem, atuam como apoio para pais e familiares e possibilitam novas experiências educacionais. As aulas também ajudaram a superar dificuldades, como a falta de materiais de ensino específicos, as limitações do uso de materiais impressos e os regionalismos linguísticos.

Todas as suas aulas foram postadas em um canal do YouTube e, agora, o acesso a elas é gratuito. Sua escola se destaca pela grande quantidade de alunos com deficiência auditiva e de professores que promovem a LIBRAS como uma ferramenta eficaz de inclusão. Desde 2017, graças ao apoio do estado, a instituição de ensino oferece aulas bilíngues em duplas pedagógicas, e as aulas bilíngues em vídeo são utilizadas como material de apoio pedagógico.

A dedicação por cada aluno também lembrada pela professora. Em sua turma de terceiro ano, oito dos 30 alunos apresentam surdez. “A partir do momento que a criança entra em minha sala de aula, ela é minha aluna. Se tem surdez, se não tem, eu tenho a responsabilidade de ajudá-la da melhor forma possível. Cada um deles têm suas necessidades e capacidades”.

? Aprendendo Sempre: Ferramentas e orientações para suas aulas remotas

Outros finalistas
Além de Doani Emanuela Bertan, entre os 10 finalistas estão o professor malaio Samuel Isaiah, o professor indiano Ranjitsinh Disale, o professor nigeriano Olasunkanmi Opeifa, o professor britânico Jamie Frost, o professor italiano Carlo Mazzone, a professora sul-africana Mokhudu Cynthia Machaba, a professora norte-americana Leah Juelke e o professor sul-coreano Yun Jeong-hyun.

Cerimônia virtual
Os 10 finalistas serão anunciados na próxima semana na cerimônia do Global Teacher Prize que, pela primeira vez em sua história, será realizada virtualmente em razão da pandemia da Covid-19.

O evento será comandado por Stephen Fry, direto do Museu de História Natural de Londres. A cerimônia também fará um reconhecimento especial ao professores do mundo, que empreenderam esforços descomunais para que seus alunos continuassem aprendendo durante a pandemia do coronavírus.

Com um prazo de 10 anos para o cumprimento do objetivo 4 de desenvolvimento sustentável estabelecido pela ONU de promover uma educação de qualidade para todos os meninos e meninas, o Global Teacher Prize firmou uma parceria com a UNESCO para garantir que os professores estejam entre as prioridades das agendas dos governos. 

Brasileiros no TOP 50
O professor de história e especialista em educação inclusiva Francisco Celso Freitas, do Centro de Ensino da Unidade de Hospitalização de Santa Maria (DF) e a professora de Lília Melo, da Escola Brigadeiro Fontenelle, de Belém (PA), ficaram entre os 50 mais bem classificados nesta edição.


TAGS

ensino fundamental, inclusão, personalização, prêmios

Deixe um comentário

avatar
500
  Acompanhar a discussão  
Tipo de notificação
X