Protagonismo de estudantes é reconhecido no Desafio Criativos da Escola - PORVIR
Reprodução/Criativos da Escola

Inovações em Educação

Protagonismo de estudantes é reconhecido no Desafio Criativos da Escola

Iniciativas transformadoras realizadas por crianças e adolescentes de todo país são valorizadas na premiação. Conheça os vencedores da 7ª edição

por Beatriz Cavallin ilustração relógio 10 de dezembro de 2021

Mapeamento de ações de acolhimento à população LGBTQIA+, debates sobre tolerância religiosa, iniciativas nas redes sociais sobre a influência das mulheres na ciência. Estes são alguns exemplos dos 50 projetos premiados na 7ª edição do Desafio Criativos na Escola, divulgados nesta sexta-feira (10) durante o evento Be The Change 2021: Bora Sonhar Juntos. Desde 2015, o projeto incentiva e reconhece mudanças feitas por estudantes do ensino fundamental e médio em seus bairros, escolas e comunidades. As equipes vencedoras receberão R$ 2 mil para investir em suas propostas, além de ser nomeadas como Embaixadoras do Criativos da Escola.

“Nesse ano, que exigiu da gente muita paciência para conseguir continuar estudando e se concentrar em nossos projetos, só o fato de pensar em ações diferentes e colocá-las em prática junto a outras pessoas já é uma super vitória”, afirma Gabriel Maia, coordenador do programa Criativos da Escola, no evento que marca também a entrega do prêmio.

Passo a passo da premiação

O desafio de 2021, que contou com 315 projetos inscritos, foi dividido em duas fases independentes. Na etapa “Chama”, entre os meses de maio e agosto, os grupos precisaram cumprir sete missões. A primeira delas, “Chama no grupo”, consistia na criação de uma imagem para representar a equipe. Com nome e logo criados, as equipes  decidiram os temas, identificaram os problemas e definiram as práticas a serem aplicadas. Ao final do roteiro, desenvolveram um projeto para ser inscrito na próxima etapa, “Premiação”, na qual contaram com o apoio de um educador mentor. Grupos que não participaram da primeira fase também puderam inscrever seus projetos.

As equipes que realizaram todas as atividades na primeira etapa tiveram a oportunidade de participar de um bate-papo com o ator Lucas Penteado. Além disso, os grupos com  mais curtidas no site do desafio ganharam um kit com jogos, livros e histórias em quadrinhos.

Conheça alguns dos vencedores: 

Cartografia da violência contra pessoas trans – o alvo e o avesso

De Belo Horizonte (MG), o projeto “Cartografia da violência contra pessoas trans – o alvo e o avesso” foi idealizado por estudantes do Colégio Mangabeiras Parque. Sensibilizados com as violências sofridas pela população LGBTQIA+, especialmente das pessoas trans, os alunos decidiram investigar iniciativas de acolhimento e ações afirmativas. A partir disso, o grupo passou a visitar diversos estabelecimentos que pudessem servir de apoio e/ou emprego às pessoas desses grupos, criando um mapa no Padlet para divulgar essas oportunidades.

Intolerância? Aqui não 

Com o objetivo de promover a liberdade e combater a intolerância religiosa dentro da escola, estudantes do Colégio Jesus Cristo Rei, em Cachoeiro de Itapemirim (ES), desenvolveram o projeto “Intolerância? Aqui não”, no qual têm realizado uma série de entrevistas com lideranças religiosas do município. Os programas estão disponíveis no Spotify, espalhando suas reflexões dentro e fora da escola.

Book Live:estimulando a interação e prática de leitura

O projeto “Book Live: estimulando a interação e prática de leitura”, idealizado por alunos do Colégio da Polícia Militar Cel.Hervano Macedo Júnior, em Juazeiro do Norte (CE), organiza lives no Instagram, nas quais convidam alunos e professores para comentarem sobre livros que leram recentemente e, com isso, despertar o interesse de outros colegas.

Sertanejas Cientistas – A Ciência do Alto Sertão

Alunas do Centro de Excelência Dom Juvêncio de Britto, em Canindé de São Francisco (SE), criaram o projeto “Sertanejas Cientistas – A Ciência do Alto Sertão”. Incomodadas com a baixa participação e representação feminina na ciência, as estudantes decidiram divulgar no Instagram e YouTube uma série de conteúdos, incluindo biografias de mulheres cientistas, além de transmitir lives que contam com a participação de convidadas da área.

Gincana Primavera X

Moradores de uma ilha da Amazônia, os integrantes do projeto “Gincana Primavera X” decidiram promover uma série de ações voltadas à preservação dos rios: dialogaram com os ribeirinhos sobre a importância da separação dos resíduos sólidos, realizaram um mutirão de limpeza dos rios e entraram em contato com  o poder público em busca de soluções para o problema do acesso à água. A iniciativa foi feita por alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental Professora Dilcivane Viana Moia, em Cametá (PA).

Você encontra a lista completa com os 50 projetos premiados clicando aqui.


TAGS

aprendizagem baseada em projetos, competências para o século 21, ensino fundamental, ensino médio, prêmios

Cadastre-se para receber notificações
Tipo de notificação
guest
0 Comentários
Comentários dentro do conteúdo
Ver todos comentários
PRECISAMOS DE VOCÊ para contar histórias de professores inovadores na exposição "Encontro com Porvir"DOE AGORA
+
0
É a sua vez de comentar!x
()
x
X