Crédito: Mardilson Gomes / SEE Acre

Inovações em Educação

Como promover a escuta dos estudantes em 2020

Gestores compartilham como redes estaduais de educação mobilizaram jovens para refletirem sobre a escola dos sonhos e o novo ensino médio

por Marina Lopes ilustração relógio 27 de janeiro de 2020

Nas próximas semanas, redes públicas e privadas de todo o país dão início ao ano letivo. Em um período de implementação de políticas educacionais e de mudanças no ensino médio, promover a escuta dos estudantes é um passo fundamental para apoiar a tomada de decisões, que incluem desde o planejamento de atividades e a adoção de novas práticas pedagógicas até tópicos mais complexos, como o currículo e a organização escolar.

Para apoiar gestores e educadores que desejam promover a escuta dos estudantes em 2020, o Porvir conversou com representantes de secretarias estaduais de educação que participaram da terceira edição da pesquisa “Nossa Escola em (Re)Construção”, que no ano passado ouviu 258.680 estudantes de 11 a 21 anos de todo o Brasil.

Leia mais: 
– Jovens esperam da escola apoio para construir projeto de vida
– 6 passos para escutar estudantes da sua escola ou rede com uma ferramenta gratuita

Por meio da ferramenta de escuta online e gratuita, promovida pelo Porvir, em parceria com a Rede Conhecimento Social, as secretarias estaduais de educação Acre, Alagoas, Mato Grosso, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Tocantins e Distrito Federal ouviram as percepções e demandas dos jovens em relação ao Novo Ensino Médio, ao desenvolvimento integral, à interação com os professores e outros profissionais, ao uso de tecnologia e o desejo por mais participação nas decisões da escola.

A partir de exemplos de redes que aplicaram a pesquisa, confira dicas de como mobilizar os estudantes para dar início a um processo de escuta:

Entre em contato com representantes das escolas por e-mail e telefone
O contato direto com escolas (por e-mail ou telefone) e as redes sociais foram caminhos utilizados pela Secretaria de Estado de Educação do Mato Grosso para mobilizar os estudantes. Para dar início a esse processo de escuta, a rede contou com o apoio de um grupo de trabalho da secretaria dedicado a tratar assuntos do ensino médio. Com essa ação, a rede alcançou mais de 18 mil respostas.

“Nós nunca tínhamos feito um processo de escuta nessa proporção. Já que falamos tanto do estudante protagonista, nada mais justo do que partir de um diagnóstico das expectativas de aprendizagem deles para fazer a flexibilização curricular e também entender as demandas dos jovens em relação aos itinerários formativos”, destaca Isaltino Alves Barbosa, coordenador do Ensino Médio da Secretaria de Estado de Educação do Mato Grosso.

Mobilize estudantes do grêmio para dar início ao processo de escuta
Em Alagoas, a mobilização para a escuta dos jovens aconteceu com o apoio dos próprios estudantes. A convite da secretaria estadual, representantes dos grêmios participaram de oficinas para disseminar o questionário da pesquisa nas suas escolas. “Esses estudantes foram agentes de mobilização. Nós os colocamos como protagonistas. Não era uma coisa que a secretaria estava mandando para a escola, era o grêmio que estava ali conduzindo aquele processo de escuta para entender o que o estudante desejava para a escola e como ele gostaria que fosse o ensino médio”, conta Laura Souza, secretária-executiva de Educação de Alagoas.

Use as redes sociais para divulgar a pesquisa
As redes sociais também podem ser grandes aliadas na hora de mobilizar educadores e estudantes. A estratégias foi bastante utilizada pelas redes estaduais de São Paulo, Mato Grosso e Acre. Além de estabelecer o contato com regionais de ensino e até mesmo com representantes das escolas, as secretarias investiram na divulgação via Facebook e Twitter.

Incentive o uso de dispositivos móveis
Além do laboratório de informática, os dispositivos móveis também podem ser boas ferramentas para engajar os estudantes no processo de escuta. Essa estratégia foi adotada na Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes do Acre, que estimulou o compartilhamento do link com o questionário entre os estudantes. “Toda a mobilização envolveu uma estratégia bem articulada entre a secretaria e as escolas”, menciona Luís Carlos da Silva, chefe da divisão de Ensino Médio da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes do Acre. Nesse processo, as escolas também separaram alguns equipamentos e computadores para viabilizar a participação de estudantes que não tinham celular.

Promova um dia D para mobilizar os estudantes
Em São Paulo, a secretaria promoveu um dia D para mobilizar escolas de toda a rede a participarem do processo de escuta. Os alunos foram convidados a ir ao laboratório de informática para responderem ao questionário da pesquisa. “Nós entendemos que esse seria um momento importante para ver algumas das maiores demandas dos estudantes”, afirma Gustavo Mendonça, coordenador do Novo Ensino Médio da Secretaria Estadual de Educação de São Paulo.

Outras referências
Na página da pesquisa “Nossa Escola em (Re)Construção“, também é possível encontrar outras dicas para divulgar o questionário e mobilizar alunos. Com o questionário aplicado e os dados compilados, o especial Participação dos Estudantes na Escola também traz referências de como partir de um processo de escuta para incentivar que os estudantes também façam escolhas, tenham coautoria e sejam corresponsabilizados na busca por soluções em prol da transformação das suas escolas e da comunidade.


TAGS

ensino médio, participação dos estudantes