Encontro com o Porvir celebra e emociona professores protagonistas da educação  - PORVIR
Crédito: Dubes Sônego/Porvir

Blog

Encontro com o Porvir celebra e emociona professores protagonistas da educação 

Confira os destaques do "Encontro com o Porvir", evento que debateu inovação em um dia de aprendizagem, conexão e reconhecimento para educadores que transformam a educação.

por Ana Luísa D'Maschio ilustração relógio 6 de maio de 2024

“Nós lemos emoções nos rostos.” A frase do escritor moçambicano Mia Couto traduz a reação das mais de 150 pessoas que participaram do “Encontro com o Porvir: um dia de aprendizagem, conexão e reconhecimento para educadores que transformam a educação” no sábado, 4. Os aplausos ao final de cada uma das atividades comprovaram o sucesso do evento, enquanto lágrimas de gratidão encheram os olhos dos professores homenageados e da plateia que se emocionou com as histórias ali compartilhadas.

📳 Inscreva-se no canal do Porvir no WhatsApp para receber nossas novidades

A programação de oito horas na Camino School, em São Paulo, repleta de oficinas e rodas de conversa, celebrou a primeira edição do Prêmio Professor Porvir e o lançamento do e-book com as práticas ganhadoras, os 12 anos do portal e as jornadas mais recentes trilhadas pela instituição. As inscrições para a segunda edição do Prêmio também foram anunciadas durante o evento.

O Encontro com o Porvir foi realizado com o patrocínio de Nubank e Wings Educação e apoio de Camino School e Companhia na Educação.

Veja (e se emocione com) a cerimônia de premiação!

A cerimônia de premiação, conduzida pelo mestre de cerimônias e professor de literatura João Paulo Almeida, foi marcada por momentos de emoção. Cada vencedor foi recebido com um cordel, escrito e declamado pelo músico e escritor Cris Gouveia, que também é professor na escola. Confira!

Educação infantil

Professora Maria Raquel ao lado de coordenadora e gestora da Creche Municipal Magdalena Arce Daou
Crédito: Dubes Sônego/Porvir Projeto de Maria Raquel trabalhou com com o acolhimento do imigrante, com o combate à xenofobia e assuntos que envolvem infâncias em trânsito / Crédito: Dubes Sônego/Porvir

Regiany Silva, diretora de operações da agência de soluções do Porvir, entregou o prêmio da categoria educação infantil para o projeto “Creche em Manaus ensina e aprende com crianças e famílias da Venezuela”. Ao receber crianças venezuelanas e indígenas do povo Warao na Creche Municipal Magdalena Arce Daou, a professora Maria Raquel Souza dos Santos desenvolveu projetos que envolveram famílias, parceiros e trocas culturais na comunidade.

Com bandeiras da Venezuela e do Amazonas em mãos, Maria Raquel dividiu o palco com a coordenadora pedagógica Maria Virgínia Cunha Roque e a gestora Jucilene Seixas de Carvalho. “É emocionante estar aqui. Agradeço ao Porvir e acredito muito nessa plataforma onde já me alimentei muitas vezes, pela oportunidade de compartilhar o trabalho da nossa creche com o Brasil”, disse.

Ensino fundamental 1

O professor Cris Gouveia ao lado das professoras premiadas e de Letícia Lyle, da Camino School
Crédito: Dubes Sônego/Porvir O professor Cris Gouveia ao lado de Edilamar dos Santos Soares, Shirlei dos Santos Catão e Francimara Barbosa Gomes, professoras premiadas, e de Letícia Lyle, diretora da Camino School / Crédito: Dubes Sônego/Porvir

O projeto “Impactos do garimpo ilegal são foco de pesquisa de alunos da EJA” foi o primeiro a ser anunciado, na categoria ensino fundamental 1. Além de pesquisar sobre a contaminação dos rios e igarapés causados pela extração de minério, estudantes do terceiro ano do ensino fundamental da EJA (Educação de Jovens e Adultos) de Boa Vista (RR), conheceram lideranças indígenas que lutam para proteger a natureza.

“Nosso projeto trata da floresta, da água e dos povos indígenas afetados pelo garimpo ilegal. Minhas filhas têm traços indígenas e sonham em beber água pura dos rios. Sonham com um amanhã. Eu acredito na educação transformadora e agradeço ao Porvir pelo encorajamento e reconhecimento aos professores”, disse, entre lágrimas, Shirlei dos Santos Catão, que subiu ao palco ao lado de Edilamar dos Santos Soares e Francimara Barbosa Gomes, também autoras da prática pedagógica. Elas receberam de Letícia Lyle, diretora da Camino School e conselheira do Porvir, o diploma e o kit Porvir de premiação.

Ensino fundamental 2

Marcos Paixão Bastos dos Santos recebe certificado de Marina Lopes, jornalista da equipe do Porvir
Crédito: Dubes Sônego/Porvir Marcos Paixão Bastos dos Santos recebe certificado de Marina Lopes, diretora editorial da agência de soluções do Porvir / Crédito: Dubes Sônego/Porvir

Direto de Itabaianinha, em Sergipe, o professor Marcos Paixão Bastos dos Santos, vencedor da categoria ensino fundamental 2, emocionou a plateia ao compartilhar o projeto ”Alunos vão a campo para estudar as trajetórias das mulheres vassoureiras de Sergipe”. Acompanhado por Josefa, uma das artesãs homenageadas no projeto, e por Altemar José dos Santos, secretário municipal de educação de Itabaianinha, Marcos destacou a importância do apoio da comunidade para o sucesso da iniciativa.

“Altemar apoiou cada ação do projeto. Josefa, mãe de quatro filhos, trabalha na produção de vassouras há mais de 32 anos é uma das mulheres mais fortes que a vida me apresentou”, disse, interrompido pelo choro e pelo forte aplauso da plateia. “O projeto fala sobre vidas, sobre sociedade, responsabilidade social, empoderamento. Agradeço a toda a equipe do Porvir pelo cuidado e sensibilidade com cada projeto. Vocês lançaram perspectivas para que a gente possa acreditar que o amanhã ainda existe”, declarou, antes de receber o prêmio das mãos de Marina Lopes, diretora editorial da agência de soluções do Porvir.

Ensino médio

Diogo Jordão Silva conquistou o prêmio de ensino médio por um trabalho contra o bullying
Crédito: Dubes Sônego/Porvir Diogo Jordão Silva conquistou o prêmio de ensino médio por um trabalho contra o bullying / Crédito: Dubes Sônego/Porvir

O projeto Turmas do ensino médio criam e aplicam jogos antibullying em escolas do RJ, do professor Diogo Jordão Silva, de Campos dos Goytacazes (RJ), colocou os estudantes como protagonistas: eles levam oficinas sobre prevenção do bullying para outras três escolas da comunidade, com jogos disponíveis para download. Diogo é vencedor da categoria ensino médio, premiação entregue por Luan Silva, diretor de arte do portal Porvir.

“Agradeço ao Porvir pela oportunidade de compartilharmos nossas práticas, isso é fundamental para um professor que busca sempre trazer inovação para seus alunos”, afirmou Diogo. “Agradeço também meus alunos do ensino médio integral, bandeira que eu defendo, porque se não fosse o integral, não teríamos condições de fazer os projetos que têm sido realizados”, complementou.

Educação socioemocional

Rafael Crizanto de Sousa Silva e Juliana Ferrari, diretora-executiva do Instituto Camino
Crédito: Dubes Sônego/Porvir Rafael Crizanto de Sousa Silva leva o prêmio da categoria socioemocional para Queimados (RJ) / Crédito: Dubes Sônego/Porvir

Juliana Ferrari, diretora-executiva do Instituto Camino, entregou o prêmio da categoria educação socioemocional para o professor Rafael Crizanto de Sousa Silva. Ele realizou o projeto Releitura de ‘Os Três Porquinhos’ incentiva reflexão sobre emoções e família com sua turma de educação infantil da Escola Municipal Professora Diva Teixeira Martins, em Queimados (RJ). Ao apresentar o texto clássico e contrapor a história com novas versões que reexaminam o protagonismo dos personagens e desconstroem estereótipos, Rafael encontrou uma maneira original de trabalhar competências socioemocionais com as crianças. Partindo das fábulas, ele abordou questões profundas, como preconceito, violência e desrespeito, de forma construtiva e crítica. 

“Estava chorando desde a primeira professora premiada. Agradeço ao Rafael, não a este professor de 26 anos, mas àquela criança Rafael, de 7 anos, que precisou de um local de acolhimento lá na primeira série, com a professora Diva, e foi acolhido”, emocionou-se. “Quem está na escola pública sabe que a luta é diária, mas vamos continuar. Hoje é um dia para agradecer e reconhecer essas boas práticas.”

Tecnologia

O professor Henrique Lopes exibe o certificado
Crédito: Dubes Sônego/Porvir O professor Henrique Lopes conquistou o prêmio por um trabalho com tecnologia em um centro de atendimento socioeducativo / Crédito: Dubes Sônego/Porvir

O professor Henrique Corrêa Lopes enfrentou o cenário desolador da enchente que assola a cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, para participar da premiação. Só para chegar de sua cidade, Santa Maria, à capital gaúcha, o trajeto durou 12 horas de ônibus – quatro vezes mais do que o tempo habitual de viagem. Com a prática Projeto leva atividades criativas a jovens que cumprem medida socioeducativa, Henrique conquistou o prêmio de melhor projeto na categoria tecnologia. Por meio da robótica e do projeto de vida, os estudantes do 9º ano da EJA aprendem a produzir peças de baixo custo e a desenhar protótipos mais complexos no computador.

“Se porventura um dia eu me esquecer de algumas coisas da minha vida, esse momento aqui jamais será esquecido”, afirmou, enquanto relatava a procura da imprensa e o reconhecimento pelas ruas de sua cidade depois da divulgação do Prêmio Professor Porvir. “Não deixem de acreditar nos nossos sonhos, não deixem de acreditar na nossa educação, não deixem de acreditar em nós como professores, como pais, como educadores. Somos falíveis, mas merecemos toda a chance do mundo. Meus alunos e este projeto são provas disso”, pontuou. O diploma e o kit Porvir foram entregues ao vencedor pelo professor Deivide Nascimento, embaixador das comunidades do Porvir.

Projeto de Vida

A professora Cleciane Santos Alves celebrou a trajetória de seus estudantes no discurso de vitória. Ela é cumprimentada por Edna Silva, da equipe do Porvir
Crédito: Dubes Sônego/Porvir A professora Cleciane Santos Alves celebrou a trajetória de seus estudantes no discurso de vitória / Crédito: Dubes Sônego/Porvir

Edna Silva, assistente-administrativa do Instituto Porvir, entregou o prêmio da categoria Projeto de Vida à professora Cleciane Santos Alves, da cidade de Lagarto, em Sergipe, pela Aula de projeto de vida amplia participação de estudantes nas decisões da escola. As atividades influenciaram adolescentes do ensino médio a olhar com mais cuidado para a escola, para a comunidade e para si mesmos.

Ao subir no palco, Cleciane abriu a bandeira de Sergipe e logo pediu aplausos para seus alunos, que estavam acompanhando a transmissão online. “Não estou só, porque não cheguei aqui sozinha. O projeto está impregnado pelo reconhecimento e validação das existências dos jovens daquela escola, onde fui aluna e a moça da limpeza; abriu espaço para escuta e aconteceu com o desejo de fazer a diferença na educação pública”, declarou. “Fico emocionada com o cuidado do Porvir. É o professor sendo tratado como se deve nesse país.”

Educação antirracista

Cleide da Silva Magesk exibe seu certificado
Crédito: Dubes Sônego/Porvir Cleide da Silva Magesk contou que o prêmio deixou estudantes orgulhosos / Crédito: Dubes Sônego/Porvir

Após oficinas, pesquisas e rodas de conversa, os estudantes da professora Cleide da Silva Magesk, vencedora da categoria educação antirracista, produziram um podcast e um documentário sobre o uso e o trabalho com tranças. O projeto Trançando histórias e cabelos, professora valoriza ancestralidade de estudantes foi realizado com a turma do ensino médio do CIEP 097 Carlos Chagas / Intercultural Brasil-China, em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. Quem fez a entrega do prêmio foi Ruam Oliveira, repórter do Porvir.

“Muitos alunos estavam infrequentes e o projeto ‘Trançando histórias’ fez com que eles ficassem na escola, me esperando. Foi muito emocionante. Vimos o movimento contrário, eles ficaram orgulhosos com a produção. Minha trancista disse que me deixaria maravilhosa para representar essa classe de mulheres negras que levam sustento para as suas famílias com a arte de trançar, que não é valorizada”, contou. “O Porvir é uma equipe pequenininha, mas a generosidade que eles têm com todos nós não tem preço. Eles se multiplicam, mandam muito e-mail, mas são de uma delicadeza absurda. Agradeço por cada hora e cada história que foi trançada junto com vocês.”

Menção honrosa

Fábio Gomes da Silva chamou a atenção do direito à educação para escolas na Amazônia. Ele recebe premiação da editora-assistente Ana Luísa D'Maschio
Crédito: Dubes Sônego/Porvir Fábio Gomes da Silva chamou a atenção do direito à educação para escolas na Amazônia / Crédito: Dubes Sônego/Porvir

A categoria menção honrosa foi criada após decisão da equipe do Porvir em reconhecimento ao projeto do professor Fábio Gomes da Silva, cujas etapas reúnem metodologias ativas, educação antirracista, projeto de vida e socioemocionais.  O Projeto revela jovens poetas em comunidades indígenas e ribeirinhas foi realizado em Beruri, interior do Amazonas, reunindo educadores e alunos voluntários para levar oficinas de poesia a escolas da região. Quem entregou o prêmio foi Ana Luísa D’Maschio, editora-assistente do Porvir. E mesmo antes da chegada de Fábio ao palco, a plateia já o aplaudia de pé.

“Eu venho de uma comunidade tradicional e sei o quão é difícil não ter, na nossa região, escolas para os nossos estudantes. Algumas comunidades não têm o básico: biblioteca, sala de informática, laboratório de ciências. Isso é um direito. Estamos desenvolvendo um material para a comunidade indígena Apurinã, que não tem material didático. É uma pena que em pleno século 21 não exista material para os povos originários”, lamentou Fábio. “Eu venho de família humilde, sou fruto do trabalho e da dedicação de uma mulher que foi pai e mãe. E estou trabalhando para que meus estudantes estejam aqui amanhã e sejam protagonistas, contem sua própria história, valorizem sua identidade e sua cultura.”

O minicenso escolar a partir de metodologias ativas rendeu dois prêmios ao professor Felipe Manoel Cabral
Crédito: Dubes Sônego/Porvir O minicenso escolar a partir de metodologias ativas rendeu dois prêmios ao professor Felipe Manoel Cabral / Crédito: Dubes Sônego/Porvir

Com 29,51% dos votos, o professor Felipe Manoel Cabral, de Nova Iguaçu (RJ), venceu a votação popular do Prêmio Professor Porvir. E mais: o projeto Professor transforma aula de matemática em ‘filial do IBGE’ para trabalhar estatística ganhou ainda a categoria metodologias ativas. “Agradeço aos meus alunos, eles me formaram como professor. Agradeço ao Porvir também, eles foram sensacionais desde o primeiro minuto. Todo mundo falou sobre isso, mas o cuidado deles é uma coisa espetacular, tudo é feito com muito cuidado e faz a gente se sentir muito confortável”, disse Felipe. As premiações foram entregues por Beatriz Cavallin, coordenadora de difusão do portal Porvir, e por Cadu Pereira de Moraes, representante da Wings, patrocinadora do Encontro com o Porvir.

O Encontro com o Porvir conta com:


TAGS

aprendizagem baseada em projetos, educação antirracista, educação indígena, educação infantil, ensino fundamental, ensino superior, metodologias ativas, Prêmio Professor Porvir, prêmios, projeto de vida, socioemocionais, tecnologia

Cadastre-se para receber notificações
Tipo de notificação
guest

0 Comentários
Comentários dentro do conteúdo
Ver todos comentários
Canal do Porvir no WhatsApp: notícias sobre educação e inovação sempre ao seu alcanceInscreva-se
0
É a sua vez de comentar!x