Professora aposta na tecnologia para ensinar inglês e ciências para crianças - PORVIR
ozgurcankaya/iStock

Diário de Inovações

Professora aposta na tecnologia para ensinar inglês e ciências para crianças

Educadora, que está entre os 50 finalistas do Prêmio Educador Nota 10, explica o processo de criação do site para o projeto "A misteriosa vida das plantas"

por Flavia Cotomacci ilustração relógio 23 de fevereiro de 2022

“Teacher, a planta come? Porque, sabe, não dá para ver!” “Como ela cresce?” “E as plantas que vivem no mar, elas não se afogam com tanta água?” Foi por meio do interesse e das dúvidas das crianças do Colégio Internacional Ítalo Brasileiro que surgiu este trabalho. Intitulado “The Mysterious Life of Plants” (“A misteriosa vida das plantas”), o projeto ganhou tanta força que se transformou em site.

Mas não qualquer site. Os alunos do 3º ano do ensino fundamental foram protagonistas dessa construção e eu, professora, apenas mediei o processo. A princípio, a página era interna, apenas para acesso da escola. Mas a iniciativa foi longe! E me levou à classificação entre os 50 finalistas do Prêmio Educador Nota 10.

O objetivo era focar no aprendizado da língua inglesa. Por meio do CLIL (Content and Language Integrated Learning), ou Aprendizagem Integrada de Conteúdos e Línguas, unimos o Inglês com outras disciplinas do currículo escolar.


Leia também


O primeiro passo foi conversar com os estudantes sobre qual disciplina eles mais gostariam de aprender. A resposta foi unânime: “Science, teacher!” e, juntos, optamos pelo estudo das plantas e do meio ambiente como assunto principal.

A proposta era estimular, por meio da ciência, a fluência, compreensão, espontaneidade, interesse e vontade de aprender cada vez mais o idioma, compartilhando os conhecimentos e as descobertas na página.

Usamos muito a tecnologia e nosso colégio, que estimula o aprendizado com as ferramentas do Google (do Google Docs ao Google Fotos). Pelo Google Earth, por exemplo, viajamos para outros países e descobrimos histórias de flores que, antigamente, custavam uma fortuna.

As crianças pesquisaram tudo aquilo que mais lhes interessava sobre as plantas

Deixamos lousa, papel e caneta de lado. Focamos na tecnologia, que sempre avança em relação à educação em sala de aula. Internet, iPad, computador, Chromebook, projetor e sala Smart foram as nossas ferramentas para que eles construíssem um site (dentro do Google Sites), pela primeira vez.

Utilizamos, também, fotos e gravações para sanar todas as dúvidas. Tudo disponível online, criado pelos estudantes, que se animavam mais, a cada dia, com a disciplina.

As crianças pesquisaram tudo aquilo que mais lhes interessava sobre as plantas. Como se alimentam? Elas bebem água? Como as plantas crescem? O que é planta carnívora? O que vem primeiro: a flor ou o fruto da árvore? Tem pintor que pinta flores e plantas?, entre outros questionamentos.

As dúvidas, e suas respostas, eram registradas no site, por meio de fotos ou vídeos que os estudantes faziam. Por lá, também reunimos poemas, sugestões de filmes e dicas para cuidar de vasos em casa.

Com esse processo, eles saíram do “talvez” e do “como seria” para observar exatamente o processo de cultivo das plantas, seu crescimento, a germinação, a fase de fotossíntese. Ao final do projeto, ficou notório como os alunos se desenvolveram, melhorando o vocabulário e a fluência.


Flavia Cotomacci

Formada em Letras (Tradução e Licenciatura em Inglês e Português) e em Pedagogia, ambos os cursos pela PUC-SP. É professora desde 2002 e, atualmente, trabalha no Colégio Internacional Ítalo Brasileiro, ministrando aulas para o fundamental 1 (todas as séries) e no Global.

TAGS

competências para o século 21, ensino fundamental

Cadastre-se para receber notificações
Tipo de notificação
guest
0 Comentários
Comentários dentro do conteúdo
Ver todos comentários
O QUE VOCÊ MELHORARIA NO PORVIR? Ajude a tornar nosso trabalho ainda mais relevante para você QUERO RESPONDER
0
É a sua vez de comentar!x
()
x
X